Topo
Ageless

Ageless

Categorias

Histórico

Combater olheiras depois dos 40 exige combinação de tratamentos

Silvia Ruiz

26/07/2019 04h00

Crédito: iStock

Quando a gente começa a envelhecer, uma das primeiras evidências que aparecem no rosto (e que normalmente nos incomodam muito) são as olheiras. Eu sempre brinco nos meus posts no Instagram (me siga lá também @silviaruizmanga) que meu corretivo é minha dignidade. Porque não dá para acordar todos os dias e sair para trabalhar parecendo que a gente não dormiu direito! E aí haja corretivo para tirar aquele ar de cansaço. Semana passada inclusive entrevistei a cineasta e apresentadora Marina Person (ex-MTV) que, aos 50, disse que o que mais a incomoda no envelhecimento são justamente as benditas olheiras.

O que causa o problema?

Com o passar dos anos, os músculos que sustentam as pálpebras enfraquecem e existe também uma reabsorção óssea, ou seja, uma redução dos ossos em volta dos olhos. Além disso, a gordura que temos nessa região e dá sustentação à pele é reabsorvida pelo corpo. "É aí que surge a olheira anatômica, pelo afundamento dessa área", explica o dermatologista Gabriel Sampaio, membro-titular da Sociedade Brasileira de Dermatologista.  Essa redução da gordura de sustentação ainda deixa evidente uma outra gordurinha natural que a gente tem na pálpebra, que as pessoas chamam de "bolsa de gordura". Na verdade essa "bolsinha" sempre esteve lá, mas não aparecia antes porque o tecido em volta também estava mais cheinho com a gordura estrutural.

Existem outros tipos de olheira também quando a pele das pálpebras inferiores podem parecer arroxeadas e acastanhadas. No primeiro caso, a pele parece roxa porque a pele é muito fina e translúcida e revela os vasos que estão logo abaixo (a chamada olheira vascular).  Há também o caso das olheiras que tem um tom mais castanho (olheiras melânicas) que ocorrem quando  há uma maior produção de pigmento nessa área, por causas genéticas. Esses dois tipos de olheiras podem ocorrer também em pessoas jovens, não é algo que exclusivo da idade.

Inchaço semelhante a bolsas também nessa área pode ser causado ainda por acúmulo de líquidos (até mesmo alergias podem provocar). Eu, que costumo ter sinusite, sofro com isso. Na TPM também, devido à retenção de líquidos, costumo ficar com a área bem mais inchada (nesse caso, uma boa massagem para drenar, aliada à compressas de chá de camomila gelado, me ajudam, veja abaixo). Mas nesse caso não é uma "bolsa" permanente, que vai e vem conforme a retenção de líquidos.

Portanto, as olheiras podem ter uma dessas causas ou a combinação delas: inchaço, flacidez da pele, pigmentação.

Como tratar

O tratamento de olheiras em geral é um grande desafio para os dermatologistas e que exige a combinação de mais de um tipo de tratamento. Segundo Sampaio, normalmente o primeiro passo é fazer um preenchimento com ácido hialurônico na área para repor o espaço da gordura que for perdida. "Esse é o procedimento básico, como se fosse colocar uma argamassa numa parece para uniformizar um fundo irregular", diz o médico.

O segundo passo, caso ainda persista um pouco de depressão, é tratar a flacidez da pele. "Muitas vezes, o paciente acha que deveria preencher mais, mas aí existe o risco de se formar justamente uma bolsa no local", diz o médico. Por isso o mais adequado é tratar a flacidez para e pele ficar mais "esticada" e, portanto, menos profunda. Para isso são indicados o ultrassom microfocado ou a radiofrequência micro-agulhada.

Para as olheiras roxas, o tratamento deve ser vascular, com o uso de laser Nd:YAG. Já as acastanhadas, causada por excesso de pigmento, o laser usado é o mesmo que serve para eliminar tatuagens.

O que dá para fazer em casa

Segundo o dermatologista, é fundamental manter a pele do local sempre muito bem hidratada. Ela é naturalmente mais seca, por isso não deixe nunca de aplicar um creme mais espesso nessa região.  Hidratar-se por dentro também é chave tanto para manter a pele hidratada quanto para eliminar o excesso de retenção de líquidos. Eu vejo claramente minha pele mais desvitalizada nos dias em que não bebo água direito. Evitar o excesso de sal também tem um papel importante, já que ele é um grande retentor de líquidos (para quem tem aquelas olheiras que vão em vem, não as bolsinhas permanentes).

Cigarro e álcool são inimigos mortais da pele como um todo, e especialmente da área dos olhos. Já está mais do que na hora de largar o primeiro! Já os drinks devem ser em moderação (seu corpo todo agradece, obviamente).

"Duas soluções clássicas ajudam muito a combater o edema por excesso de líquidos e o escurecimento: compressas de chá de camomila gelado e de pepino". Segundo o médico, a camomila tem propriedades que ajudam a desinchar, ainda mais quando gelada. E o pepino possui ação clareadora.

Uma última regrinha: jamais durma de maquiagem. A regra é conhecida, mas a gente frequentemente a ignora. Mas dormir com resto de corretivo vai ressecar e irritar a área e só piora o quadro como um todo.

Sobre Autora

Silvia Ruiz é jornalista e trabalha com comunicação digital e PR. Durante mais de 15 anos atuou na cobertura de saúde, bem-estar e estilo de vida. É apaixonada por alimentação natural, meditação e práticas holísticas. Mãe do Tom, do Gabriel e da Myra, tem bem mais de 40 anos e está tentando aprender a viver bem na própria pele em qualquer idade.

Sobre o blog

O que é envelhecer hoje? Este é um espaço com informações para a geração que tem mais de 40 e não abre mão de viver uma vida plena e, principalmente, saudável, independentemente da idade. Aqui não falamos em “anti-aging”, e, sim, em “healthy aging”. Dicas de alimentação, beleza, atividade física, carreira e estilo de vida para quem busca ser “ageless”.