menu
Topo
Ageless

Ageless

Categorias

Histórico

Barriga chapada para o verão? O que você pode esperar dessas promessas

Silvia Ruiz

30/11/2018 04h00

Crédito: iStock

E chegou dezembro! Bastou o calendário virar para a gente começar a ver as conhecidas chamadas: "Emagreça 5 quilos até o verão"; "Barriga chapada para o Réveillon"; "Fulana ensina a ficar com bumbum na nuca até o Natal". E mais uma vez todo mundo quer resolver em um mês tudo que incomoda no corpo antes de encarar o biquíni e as pernas de fora. Sempre mostro todos os cuidados que tenho com a pele no meu Instagram (já me segue lá? @silviaruizmanga) e semana passada, quando falei sobre colágeno (link), muita gente me perguntou se eu fazia também algo para estética corporal, se colágeno adiantava para isso etc.

Eu confesso que nunca fiz tratamento de nenhum tipo para o corpo. Não que não tenha nada que me incomode (tem váaaarias coisas), mas acho que por falta de tempo, de preocupação com isso, sei lá, não rolou (um dia eu faço e conto minha experiência por aqui).  Mas tenho algumas amigas que fazem e amam.

A questão é: o que dá para resolver? Até que ponto? E, afinal, para o verão, tem alguma coisa que você poderia fazer? Para quem já passou dos 40, vai ter efeito? Porque uma coisa é a gente ver a modelo famosa dizendo que o tratamento x é uma maravilha, outra é a gente fazer no nosso corpinho de "gente normal" e ainda tipo 20 anos mais velho! Conversei com a dermatologista Milena Gonçalves Mota e com a fisioterapeuta dermatofuncional Evellyn Campanhola, da Zay Estética, para chegar nessas respostas.

Para começar, vamos entender que tratamento estético tem que vir como a "cereja do bolo". Antes tem que fazer dieta adequada, atividade física, aquele pacote que todo mundo conhece. Se for para a clínica esperando eliminar aqueles quilos a mais que deveriam ir embora com dieta, vai se frustrar e pior, jogar dinheiro fora. Portanto, só entre nessa se isso for um toque final em algo que não deu para resolver depois de fazer a lição de casa obrigatória. "Mas sem dúvida hoje em dia dá para melhorar o contorno corporal e a aparência da pele rapidamente com os tratamentos mais modernos", diz Evellyn.

Gordura localizada

Quem não tem, não é mesmo? Culotes, gordura no braço, barriguinha saliente, pneuzinho. Dar uma boa reduzida nisso é possível em uma única sessão, segundo a médica. Nesse caso, o tratamento mais rápido e mais indicado é a criolipólise (técnica que literalmente congela as células de gordura, que acabam eliminadas), que tem aparelhos no mercado como Cooltech e Coolsculpting. Em uma única sessão, estudos científicos realizados em Harvard apontam redução de 20% a 25% da gordura localizada na região tratada com o Coolsculpting. Mas claro, os resultados variam de pessoa para pessoa. Ou seja, avalie se uma redução como essa a deixaria feliz para o sonhado verão. Evellyn diz que em geral as pessoas perdem de 3 a 6 centímetros em uma sessão.

Para quem não está com a tal ansiedade do verão, Milena recomenda ainda associar o processo à chamada "lipo líquida". São aplicações de substâncias (enzimas, mais precisamente) nos locais onde há gordura acumulada também com a intenção de "quebrar" mais células de gordura do que usando somente o aparelho. Mas um alerta: esse procedimento só pode ser realizado por médicos, não por esteticista, e quem tem problemas de saúde como diabetes ou distúrbios da tireoide precisa de cuidado redobrado. "Mas o tratamento deixa marquinhas roxas por um tempo, então para quem vai para a praia não é o ideal fazer agora", alerta a médica.

Flacidez

Mulher com mais de 40 que não tem alguma flacidez não deve ser deste planeta. Segundo a dermatologista, os melhores resultados para o problema é sempre uma combinação de mais de uma técnica, não apenas um único aparelho. E o resultado mais satisfatório para casos mais graves (não sei você, mas eu certamente sou esse!) é um tratamento mais longo, de cerca de oito semanas. Mas uma possibilidade que já deixa a pele mais lisinha para o verão é fazer pelo menos quatro sessões de radiofrequência, que age por meio de aquecimento profundo da pele. Esse processo ativa o colágeno e dá aquela "esticadinha" na pele. Um dos aparelhos queridinhos desse tipo é o Exilis Elite. Nesse caso, em torno de quatro semanas já é possível ver a pele mais lisa.

Mais uma vez, quem não tem pressa neste caso pode chegar mais longe! Milena diz que associar a radiofrequência à aplicação dos chamados biostimuladores de colágeno é o que traz os melhores resultados para firmar a pele. São substâncias sintetizadas em laboratório, que, quando injetadas na pele, impulsionam a reação dos fibroblastos, as células que produzem o colágeno. Ou seja, é um estímulo para que seu corpo produza o colágeno, que é nosso grande sustentador da pele (sempre ele..). Existem duas substâncias no mercado: o ácido Poli-L-Láctico, com nome comercial de Sculptra, e a hidroxiapatita de cálcio, o Radiesse. Nesse caso posso até dar meu depoimento, porque já fiz para o rosto. E achei o resultado incrível, fez diferença mesmo.

E quanto custam esses tratamentos?

Mas vamos ao que interessa. A criolipólise custa entre R$ 800 e R$ 1.200 por área tratada. Portanto, espere gastar cerca de R$ 2000 com culotes, por exemplo. A radiofrequência (o aparelho Exilis Ultra) vai de R$ 500 a R$ 700 por área por sessão. Já a aplicação dos bioestimuladores custa em média R$ 2800 por área por sessão e a lipo líquida R$ 300 em média por aplicação (são necessárias cinco, em média). Se você já fez e curtiu o resultado, me conte aqui nos comentários ou no Instagram. Vamos ver se me animo para fazer!

Sobre Autora

Silvia Ruiz é jornalista e trabalha com comunicação digital e PR. Durante mais de 15 anos atuou na cobertura de saúde, bem-estar e estilo de vida. É apaixonada por alimentação natural, meditação e práticas holísticas. Mãe do Tom, do Gabriel e da Myra, tem bem mais de 40 anos e está tentando aprender a viver bem na própria pele em qualquer idade.

Sobre o blog

O que é envelhecer hoje? Este é um espaço com informações para a geração que tem mais de 40 e não abre mão de viver uma vida plena e, principalmente, saudável, independentemente da idade. Aqui não falamos em “anti-aging”, e, sim, em “healthy aging”. Dicas de alimentação, beleza, atividade física, carreira e estilo de vida para quem busca ser “ageless”.