PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Como evitar que o coronavírus tire o seu sono

Silvia Ruiz

10/04/2020 04h00

Getty Images

Eu sou do tipo que dorme cedo, no máximo às 22h já estou pregando o olho nos dias normais. Mas nas últimas semanas de quarentena comecei a perceber que vários dias segui acordada para além da meia-noite, de olho na para a tela do celular deitada na cama no escuro. E, no dia seguinte, sentindo aquela preguiça de levantar de quem dormiu mal. Se você também está passando por isso, saiba que é uma reação normal ao que estamos passando. No entanto, não podemos deixar a coisa degringolar, porque sono é vital para a saúde e bem-estar, ainda mais neste momento delicado de Covid. Para algumas pessoas, como mulheres na menopausa, a falta de sono que já acontece pela falta de hormônios pode ficar ainda mais acentuada.

A culpa dessa falta de sono é do stress que estamos passando nestes tempos de incerteza e medo. A insônia faz parte do modo de sobrevivência que nosso corpo ativa em situações de perigo. Há milhares de anos, quando nossos ancestrais poderiam ser facilmente atacados por um grande animal, por exemplo, o corpo humano desenvolveu mecanismos para lidar melhor com a situação. Aumentando nosso hormônio cortisol, entre outras reações, que aumenta nossa concentração e nos deixa mais alertas (assim a gente lidaria melhor com a tal ameaça). Isso é o que se chama stress agudo, que seria bom para nossa sobrevivência. O problema é essa situação se alongar, causando a stress crônico, que leva à terrível insônia.

Fato é que mais do que nunca é hora de focar em algumas estratégias para evitar que o Covid tire nosso sono literalmente. Acompanhe meus posts no Instagram também (@silviaruizmanga) onde estou dando dicas diárias para a gente lidar melhor com essa fase difícil.

Reduza o stress

Uma das boas maneiras de reduzir esse stress crônico durante a quarentena é fazer meditação e práticas de respiraçao. Fazer exercícios moderados, além de procurar manter contato com familiars e pessoas queridas, ainda que por conversas via videochamadas, ajudam o corpo a ter uma sensação de segurança maior e reduz os níveis do cortisol.

Reduza o consume de cafeína

Deixe o cafezinho para a parte da manhã. Tomar café na parte da tarde e à noite vai deixar seu corpo ainda mais em estado de alerta. O mesmo acontece com chá verde ou mate, que também são estimulantes. Uma opção é buscar cafés descafeinados ou substituir por chás de ervas como camomila, erva-doce e cidreira, que ainda tem o benefício de serem antioxidantes e calmantes.

Controle o consumo de álcool

Uma das maneiras de lidar melhor com o isolamente tem sido as festas e happy hour virtuais com amigos regadas a drinks, vinho etc, Há redes de supermercados que registraram um aumento de até 20% nas vendas de bebida alcóolica nas últimas semanas, em comparação com o mesmo período do ano passado. Pois saiba que esse é um grande inimigo do seu sono. Apesar de o álcool a princípio fazer a gente pegar no sono, ele faz com que a gente tenha um sono de má qualidade, o que nos faz acordar ainda mais cansados. Deixe a birita para no máximo uma vez na semana.

Saia das telas

É claro que mais do que nunca a gente está ligado o tempo todo em tela de computador, do celular ou da TV em busca das ultimas noticias, ou até mesmo de entretenimento para passar o tempo, Mas as telas emitem uma luz azul que interrompe a produção de melatonina, o hormônio que nos faz pegar no sono. O ideal, portanto, é trocar por leitura de livros na parte da noite, por exemplo.

Procure manter a rotina do sono

O nosso corpo precisa de uma espécie de treino para saber que é hora de dormir e "desligar o sistema". Esse treino depende de repetição, por isso é tão importante repetir os rituais todas as noites, como tomar um banho morno, colocar o pijama ou roupa confortável, ir para a cama e realmente apagar as luzes sempre na mesma hora, cortar todas as telas pelo menos meia hora antes de dormir. Também é importante acordar sempre na mesma hora para o corpo se acostumar com a rotina.

Experimente usar chás, óleos essenciais e suplementos

Além dos cuidados acima, uma ajuda dos fitoquímicos, elementos terapêuticos das plantas, podem dar uma força extra nessa fase difícil. Conversei com a farmacêutica especialista em ativos diz Cláudia Coral, vice-presidente da Galena Farmacêutica, que deu algumas dicas. Além dos chás de ervas como camomila, melissa e erva cidreira, que você pode tomar quantas vezes quiser ao dia, ela indica um suplemento com a substância citrus sinensis, obtida da laranja (o nome comercial é Serenzo) e que pode ser formulado em farmácias de manipulação. "A recomendação é as pessoas começarem com 250 mg, podendo chegar a 500 mg ao dia, divididos em duas vezes", diz ela. Estudos mostram que a substância ajuda a modular o cortisol e reduz a ansiedade. Ele pode ser usado em conjunção com magnésio quelato, um mineral importante que atua na síntese de neurotransmissores, além de promover efeito relaxante. Óleos essenciais como lavanda também são um ótimo auxiliar para a hora do sono. Coloque de seis a oito gotas em um difusor próprio para óleos essenciais. Já falei aqui do quanto sou fã e usuária dos óleos para reduzir o stress e a ansiedade.

 

 

 

Sobre Autora

Silvia Ruiz é jornalista e trabalha com comunicação digital e PR. Durante mais de 15 anos atuou na cobertura de saúde, bem-estar e estilo de vida. É apaixonada por alimentação natural, meditação e práticas holísticas. Mãe do Tom, do Gabriel e da Myra, tem bem mais de 40 anos e está tentando aprender a viver bem na própria pele em qualquer idade.

Sobre o blog

O que é envelhecer hoje? Este é um espaço com informações para a geração que tem mais de 40 e não abre mão de viver uma vida plena e, principalmente, saudável, independentemente da idade. Aqui não falamos em “anti-aging”, e, sim, em “healthy aging”. Dicas de alimentação, beleza, atividade física, carreira e estilo de vida para quem busca ser “ageless”.

Blog Ageless