Topo
Ageless

Ageless

Categorias

Histórico

Usar aparelho nos dentes depois dos 40 é cada vez mais comum

Silvia Ruiz

28/06/2019 04h00

Crédito: iStock

Se você chegou até depois dos 40 anos com os dentes desalinhados, tortos, das duas, uma: ou não arrumou quando mais jovem por falta de recursos ou porque não se importou muito com o problema, certo? Eu, por exemplo, me enquadro no segundo caso. Tenho um dente canino proeminente que passou batido a vida toda e, que, quando passou a me incomodar, já me achava velha demais para encarar um sorriso metálico. Eis que somente agora, quase aos 50, estou me preparando para encarar o ortodontista pelos próximos dois anos. Falei sobre isso no meu perfil no Instagram (me siga lá também @silviaruizmanga) esta semana e recebi várias mensagens de pessoas da minha idade que estão de aparelho também.

O fato é que é cada vez mais comum adultos buscarem tratamento ortodôntico. "É possível fazer um tratamento em qualquer idade, desde que o paciente esteja com a saúde bucal em ordem", diz Fabio Bibancos, dentista especialista em ortodontia. Segundo ele, é frequente receber pacientes que não possuíam recursos financeiros quando jovens ou que passaram a se incomodar mais com a imagem e o sorriso justamente com o envelhecimento.

Mais: pode acontecer de pessoas que usaram aparelho na adolescência ou na infância terem recidivas com o passar dos anos. Ou ainda os casos de dentes que se movem e ficam desalinhados devido à perda óssea que nós temos normalmente ao envelhecer (principalmente nos dentes inferiores da frente).

Seja como for, existem opções hoje para quem quer resolver o problema, inclusive aqueles alinhadores transparentes que colocam os dentes no lugar e são praticamente imperceptíveis (até Gisele Bündchen confessou ter usado poucos anos atrás). De acordo com a Associação Paulista de Ortodontia, do total das pessoas que usam alinhadores ortodônticos, entre 40% e 50%  têm mais de 30 anos.

"Muita gente mais velha tem constrangimento de usar o aparelho fixo tradicional, então essa opção sem dúvida é interessante", diz Bibancos. De fato, segundo a Align, a América Latina é a região do mundo com o maior crescimento de ortodontistas treinados para usar o sistema Invisalign, o pioneiro nesse tipo de alinhador. Em 2017, o aumento foi de 110%.

Segundo o ortodontista Renato Mussa, diretor técnico da empresa, a maioria dos pacientes que procuram o tratamento até pouco tempo eram as mulheres. "Os homens estão começando a descobrir essa facilidade agora", diz o especialista.

Aparelho fixo ou alinhadores transparentes?

Crédito: iStock

Os dois processos, seja o aparelho tradicional fixo quanto os alinhadores, trazem o mesmo efeito final. Porém, existe a questão do custo, já que os alinhadores são bem mais caros. "Recomendo para pacientes que são disciplinados e vão usar corretamente", diz Bibancos. Isso porque, como os alinhadores podem ser tirados para comer ou escovar os dentes, por exemplo, e o paciente tem que ter a consciência de que só vai ter resultado se usar o alinhador por longos períodos de tempo (no mínimo 20 horas por dia).

Segundo Mussa, para a colocação dos alinhadores, primeiro são feitos modelos digitais a partir de um escaneamento dos dentes do paciente. O ortodontista então planeja o tratamento pelo computador e determina quanto tempo será necessário para o tratamento. Depois, os alinhadores são produzidos fora do Brasil e importados dos EUA. Durante o processo, o paciente precisa trocar as placas aproximadamente a cada uma ou duas semanas.

As vantagens, além da discrição, são poder comer sem ficar com aquele pedaço de alface preso no aparelho e permitir a higiene mais fácil dos dentes. Mas as facilidades têm seu preço: enquanto um aparelho fixo custa em média R$ 2.500, o Invisalign chega a pouco mais de R$ 10 mil para o tratamento completo (já existem outras empresas entrando no Brasil disputando o mercado, como Clear Aligner, Smart Aligner entre outros).

Se a opção for pelo aparelho fixo, Bibancos recomenda os metálicos tradicionais em vez daqueles modelos branquinhos, os de porcelana. "Essa versão mancha demais, escurece. Acho melhor adotar os metálicos e assumir que está de aparelho e pronto", diz o dentista. Existe também uma opção de colocar o aparelho fixo na parte de trás dos dentes, o que esteticamente agrada muita gente, mas Bibancos faz um alerta: "Eu não recomendo, além de causar muitas lesões na língua, dificultam demais a higienização dos dentes, e os pacientes acabam cheios de cáries. " Ou seja, fuja dessa opção!

O tempo de tratamento, em média, tanto para o fixo quanto para o alinhador, é de um ano e meio a dois anos. Mas, para quem esperou até aqui, até que não é tanto tempo, vai!

Sobre Autora

Silvia Ruiz é jornalista e trabalha com comunicação digital e PR. Durante mais de 15 anos atuou na cobertura de saúde, bem-estar e estilo de vida. É apaixonada por alimentação natural, meditação e práticas holísticas. Mãe do Tom, do Gabriel e da Myra, tem bem mais de 40 anos e está tentando aprender a viver bem na própria pele em qualquer idade.

Sobre o blog

O que é envelhecer hoje? Este é um espaço com informações para a geração que tem mais de 40 e não abre mão de viver uma vida plena e, principalmente, saudável, independentemente da idade. Aqui não falamos em “anti-aging”, e, sim, em “healthy aging”. Dicas de alimentação, beleza, atividade física, carreira e estilo de vida para quem busca ser “ageless”.